quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

OSVALDO FILHO (QUEIJO D'ALAGOA, Alagoa-MG)

4 PERGUNTAS PARA OSVALDO FILHO, DO ‘QUEIJO D’ALAGOA’: 




1) Então vc decidiu tentar salvar o queijo da sua região, vendendo o mesmo na Internet...foi assim?!

-Tenho orgulho de Alagoa. Gosto muito desta cidadezinha. Vender o queijo artesanal aqui produzido é uma forma de divulgar a cidade pra todo Brasil. A história do queijo vem um pouco depois da história do município. Valorizo estas histórias, a cultura, a tradição. Vender este queijo pela internet é uma forma de gritar e dizer: Ei, experimente uma fatia da nossa origem!

2) Então é um queijo diferente do 'minas'? Quais os tipos que vc comercializa?

-Nosso queijo artesanal é ímpar, singular e único. Explico o motivo: ‘tremruá’ (palavra mineira que tem o mesmo significado da francesa ‘terroir’). A soma das condições naturais de Alagoa (o clima, a altitude, a água, a terra, o pasto, etc.) resulta num queijo artesanal que só pode ser concebido aqui, com características específicas daqui. Alagoa é a mais alta das Terras Altas da Mantiqueira, chega a fazer 7 graus negativos em certas épocas do ano, as vacas bebem água pura que vem direto da nascente. Tudo isso faz a diferença no sabor do queijo.

Eu comercializo somente o Queijo Artesanal Alagoa em diversos estágios de maturação. De fresco (a partir de 10 dias) a bem curado (‘Queijo do Coronel’, com 1 ano de Maturação), passando pelo Queijo ‘Faixa Dourada’ (peça pequena maturada de 30 a 60 dias) e o ‘Mantiqueira Real’(peça média maturada por mais de 90 dias com azeite de oliva). 





3) Há alguma harmonização em especial que vc recomenda para o queijo d'alagoa?

-O queijo artesanal Alagoa é democrático. Harmoniza com tudo. Desde um simples cafezinho até um excelente vinho tinto. Cerveja especial ou cerveja normal. Há quem deguste no meio de um pãozinho francês e, é claro, no pãozinho de queijo. Até com saquê já harmonizei o nosso queijo. 





4) Deixe-nos os seus contatos!

-Meus contatos:

(35) 998280359

queijodalagoamg@gmail.com

www.queijodalagoa.com.br

facebook: queijodalagoamg

instagram: queijodalagoamg 


OBRIGADO.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

TETA CHEESE BAR (Brasília-DF)

"O DINHEIRO NÃO COMPRA FELICIDADE MAS COMPRA QUEIJO, QUE É A MESMA COISA" (OSVALDIN, DO QUEIJO D'ALAGOA)

A gente tem que por 'os pingos nos ii' de vez em quando. Afinal, é pra isso que serve um crítico gastronômico! Na minha última ida ao Rio, por acaso, numa mesma noite fui parar em duas casas que parecem ter se esquecido que um mínimo de conforto é algo essencial para fazer o cliente se sentir bem recebido e...voltar!
Como o onipresente BELMONTE (filial Leblon) estava lotado - como sempre aliás - comecei a noite pelo VENGA, um simpático Bar de tapas que tem filiais em Ipanema e em Sampa.


BELMONTE

Se não me engano - e eu dificilmente me engano nesse terreno;) - o VENGA do Leblon foi o primeiro. Pois bem, pra mim o desconforto ao qual se submete o cliente estraga todo o esforço feito no VENGA para servir 'tapas', sangria e cervejas espanholas, além de alguns pratos - rola até um glorioso presunto espanhol PATA NEGRA por lá, tido como o melhor do mundo! - numa proposta diferenciada no meio de um mar de bares (com muito 'pega-turista', claro) oferecendo chope e petiscos triviais como empada de camarão e frango a passarinho. Ir ao banheiro com o VENGA cheio - e enche fácil pois é mínimo - é uma aventura nada agradável, uma pena...


'Tapas' do VENGA

O segundo caso, a meu ver menos grave tendo em vista a proposta mais informal do estabelecimento, é o do tradicional SAT'S GALETOS em Copa (tem uma filial em Botafogo). Ora, a informalidade e os preços mais em conta deste tipo de estabelecimento não justificam aquele desconforto todo. Fui num dia em que choveu forte e até água da chuva tinha dentro do bar, francamente...
A casa é bem antiga e foi 'gourmetizada' pelo novo dono, que agregou uma carta de cachaças ao lugar. Come-se bem por lá e toma-se muito chope. Mas o conjunto da obra sai muito prejudicado pelo desconforto. Não tenho previsão de voltar ao VENGA do Leblon e (menos ainda, já que lugar pra se comer um bom galeto não falta no Rio) ao GALETO SAT'S de Copa.



De volta a Brasília, mais vazia nessa época e sem aquele calorão insuportável do Rio, decidi dia desses revisitar o TETA CHEESE BAR, uma casa que guarda similitudes com o EMPÓRIO IRACEMA, o queridinho das gatas da cidade;)
Como o IRACEMA, o TETA tem tb uma fórmula mais genérica que a de uma cervejaria tradicional. Servem tb vinhos, etc. e tal. Além de chope, oferecem cervejas nacionais e importadas, abrindo assim uma vantagem sobre o IRACEMA, que limita-se ao oferecer só chope e cerveja nacionais.



TETA

Sendo o TETA um empório e um bar de queijos, deve-se privilegiar ao pedir um petisco os...queijos, claro! Não inventa, pois eu não fui feliz qdo. experimentei petiscos diversos...Mas os queijos - à venda e servidos em tábuas no bar - são ótimos e são muitos, de vaca, de cabra, de ovelha, moles, duros, jovens, maturados, tem pra todos os gostos! Ótimos bolinhos de arroz com queijo canastra. Tem até sobremesa com queijo...


Da esq. para a dir.: Pablo, Marina e André

Há tb uns sandubas e pequenos pratos para fomes maiores. O serviço dá conta do recado e a gente tem que ter paciência. O bar é pequeno/estreito, vive cheio e a circulação é assim invariavelmente prejudicada. É tb o caso do SANTUÁRIO. Conforto não é um ponto forte do TETA. Há um salão mais intimista no segundo andar, onde ficam os banheiros.





O TETA não é tb pra qq. bolso, pois um casal dificilmente vai conseguir passar uma noite lá se sustentando apenas com uma tábua de queijos, vai acabar comendo outra coisa, e aí com as cervejas a conta vai longe por lá. Mas cada um vai onde pode, c'est la vie...😃
Eu saúdo o TETA e parabenizo os sócios Pablo, André e Marina, que estão sempre por lá aliás, ponto pra eles! A proposta é original, as tábuas de queijos (acompanhados de pão e compotas/geléias) são deliciosas, com apresentação marcante - a gente já começa a comer com os olhos \o/ - e a casa é charmosa. Os donos são estudiosos e entusiastas do assunto, e André e Marina já trabalhavam com cervejas antes de abrirem o bar.





O TETA é inescapável para os fãs de queijos. Para os fãs de cerveja, assim como o IRACEMA, não é tão inescapável assim...
A concorrência no segmento das cervejarias se acirra, e vem aí o DELIRIUM CAFÉ brasiliense. Torna-se cada vez mais importante ter um diferencial, sob pena de tombar pelo caminho. E o TETA tem este diferencial. 
E aí, já foi ao TETA?!
Bonne Année.

TETA CHEESE BAR
CLS 103

Cozinha/Bebidas - **+
Serviço - **+
Preços - **
Ambiente - **+
Acolhida - não se aplica

*** - Excelente
** - Bom/regular
* - Sofrível








quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

CHEF BIRGIT FENZL (RESTAURANTE SERVUS, Brasília-DF)

ENTREVISTA (2009) COM CHEF BIRGIT FENZL, RESTAURANTE SERVUS, BRASÍLIA-DF:



1-Bom, Birgit, vc já é brasileira, mas fale um pouco das suas origens e de como veio parar em Brasília...

A família da minha mãe é da região do Mar Báltico (Rússia, Estônia, Letônia e Lituânia) e a do meu pai é da região do antigo Império austro-húngaro (Áustria, Rep. Tcheca, Hungria e adjacências). Essa multiplicidade se reflete na culinária de nosso restaurante. Meus pais se conheceram na Alemanha, viveram juntos alguns anos e, quando houve a oportunidade de um emprego para o meu pai no Brasil, ele era engenheiro, desembarcou em Santos e alguns meses depois mandou uma passagem de avião para minha mãe. Logo depois se casaram em São Paulo. Isso lá pelos idos de 1958. Eu e minha irmã nascemos alguns anos depois, em São Paulo capital. E nós nos mudamos para o Rio de Janeiro quando ainda éramos pequenas. Vivi no Rio de Janeiro durante 25 anos. Meus filhos nasceram lá.
Depois de alguns anos em Santos, viemos para Brasília.


2-E a ideia do restaurante, como surgiu?

Meus pais sempre comentavam em abrir um pequeno restaurante, quando
tivessem se aposentado, para servir basicamente Gulasch, o prato nacional austríaco e húngaro com Knödel (bolinhos cozidos à base de batata ou pão).


3-Qual a proposta do 'Servus'?

Ser um local onde se pode desfrutar da gastronomia tradicional austro-alemã e do leste europeu, em um ambiente acolhedor, enfim relaxar. Meus pais sempre deram maravilhosas e alegres recepções. Minha mãe não se furtava de preparar tudo ela mesma e todos os convidados sempre saíam muito satisfeitos. Meu pai era um verdadeiro anfitrião.

Da música no toca-discos aos guardanapos, tudo era perfeito. Eles sabiam receber e reunir as pessoas em torno de um bom papo, boa comida e boa música.

Esse clima de cordialidade é o que quero transmitir. E acho que estamos no caminho certo. Para completar, falta um espaço para dançar, a grande paixão de nossa família, e que deverá estar concluído este ano ainda.


4-Há uma diferença marcante entre as cozinhas alemã e austríaca? E as do Leste europeu?

Acredito que a gastronomia do antigo Império austro-húngaro seja mais diversificada do que a germânica. O que não surpreende, dada a quantidade de povos e culturas diferentes que viviam sob uma batuta só.


Viena, Áustria

5-Um austríaco come o que no café-da-manhã? E se leva a família para almoçar no domingo vão comer salsichas ou a coisa não é tão simples?...

O café-da-manhã é composto de café, leite, geléia, pães variados, queijo e frios.
O almoço no domingo é um mergulho na variada culinária do mundo.


6-Recomenda algum prato em especial a quem nunca foi ao restaurante?

Difícil de especificar, pois fizemos questão de reunir em um buffet um pouquinho da culinária alemã e austríaca. Todos podem voltar quantas vezes quiserem ao buffet e fazerem as suas combinações.

7-E os doces? Ouvi dizer que se orgulha da torta de maçã...

Ah o ´Apfelstrudel´. Não é bem uma torta de maçã e sim uma massa finíssima, esticada pacientemente sobre um tecido estendido sobre a mesa, recheado de maçã ralada, açúcar e limão. Depois é enrolada como se fosse um rocambole e assada.

8-Os vinhos brancos alemães e as cervejas são famosas; e na Áustria, o que se bebe?

A produção nacional de cerveja é grande e o consumo idem.
Cada região tem sua cervejaria. Muitas vezes mais de uma. O vinho austríaco é muito conhecido, principalmente o "Grüner Veltliner" (branco) e o "Blauer Zweigelt" (tinto). Somente na cidade de Viena existem nove vinhedos registrados. O menor deles tem por volta de um hectare.
Um espumante fantástico é da marca ´Schlumberger´. A grande variedade de destilados merece também ser degustada.


9-O que recomenda (bebida) para acompanhar seu famoso 'eisbein'(joelho de porco)? De onde vem sua matéria prima?

Uma cerveja de trigo gelada.
O Eisbein e embutidos vêm de São Paulo. Todos os outros ingredientes são daqui mesmo.






OBRIGADO.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

GROTE BIER (Brasília-DF)

NORÔ


Embora não seja nunca o mais importante, o ambiente charmoso de um restaurante ou bar pode agregar muito valor ao mesmo, além de ajudar a definir o seu público. É mesmo possível que alguém goste tanto do ambiente de um estabelecimento a ponto de frequentá-lo mesmo fazendo ressalvas aos 'comes e bebes', aos preços e/ou ao serviço! Em Brasília alguns estabelecimentos despertam paixão, como o UNIVERSAL DINER e o BEIRUTE. Nenhum dos dois é 'minha praia', mas podem ser...a sua!;)


UNIVERSAL DINER

Como hj vou falar em mais uma cervejaria de Brasília - temo inclusive que meu blog já esteja se tornando meio cansativo para quem não é fã de cerveja;) - vamos então nos ater ao ambiente dos bares. Visual👀Nível de ruído👂Cheiros👃
Acho que foram os franceses do grupo RELAIS & CHATEAUX que criaram a classificação de hotéis e restaurantes baseada nos "5 C". Se não me engano calma, cortesia, charme, cozinha e caráter. Podemos perfeitamente nos apropriar dela para avaliar um bar. Mas vamos esquecer a calma, quem quer calma não deve ir para um bar (...).
O ambiente de um bar talvez seja mais determinante para atrair o público que o do restaurante, afinal o bar, mais que o restaurante e por definição, é ponto de encontro. É lá que vc vai pra encontrar seus amigos, dar uma paquerada...o bar tem uma coisa fantástica que é a abertura para um novo conhecimento, quer dizer, é um lugar pra encontrar quem vc já conhece e tb pra conhecer alguém!🍻
Então vc pode frequentar um bar porque seus amigos vão lá - e isso faz o ambiente pra vc - ou porque vc gosta do lugar, e não se importa especialmente de ir lá mesmo sozinho. A conveniência (ser perto de casa ou do trabalho) conta tb. Me interessa a atração pura e simples pelo lugar, o que é necessariamente subjetivo.
Eu gosto de ir às vezes à GROTE BIER lá no noroeste, embora vá mais assiduamente a outra cervejaria.




E que tal a cortesia (atendimento), o charme, a cozinha e o caráter da GROTE?! A cortesia, o charme e o caráter do bar compõem o seu ambiente, e eu diria então que a GROTE é uma boa cervejaria para casais e grupos, tem um bom ambiente para esse público. Tem uma mini biblioteca, um telão onde passam jogos, shows, e tem música ao vivo praticamente toda semana (às sextas).




Com 4 torneiras de chope e muitas cervejas (e uns poucos vinhos), o ponto forte da GROTE pra mim é...a cozinha;) Petiscos imaginativos e bem executados, com cerveja em várias receitas. Tem petisco árabe, alemão, brasileiro, tem caldos, tem doce. Até um irish coffee rola por lá! Excelentes as salsichas do holandês Graumans, e tb o trio árabe frio (ricota/carne desfiada/berinjela) com pães "que vão muito além da figuração" segundo o cardápio...As 'apanadas' feitas pela Carla são uma boa pedida para os solitários. Há tb pequenas porções de quibes e esfihas de massa folhada.



A nova administração fez bem à GROTE, fundada pela Paulinha anos atrás lá na 409 norte, ainda na época das extensas cartas de cervejas. Os sócios Romolo, Raphael, Tomaz (da família proprietária da Cervejaria SOLERUN lá no Rio Grande do Sul) e Bia estão fazendo um bom trabalho na GROTE, uma casa para a qual enxergo longa vida num bairro de alto poder aquisitivo.


Da dir. para a esq. Romolo e Raphael

Assim, pela ótima cozinha e o bom ambiente (quase familiar, eu diria), recomendo a GROTE BIER. Vou encerrar, já falei muito na GROTE, tô ficando com fome...;)



GROTE BIER
CLNW 10/11, Bloco A
NOROESTE

Cozinha/Bebidas - **1/2
Serviço - **+
Preços - **+
Ambiente - **+
Acolhida - não se aplica

*** - Excelente
** - Bom/Regular
* - Sofrível

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

CHEF ROSARIO TESSIER (TRATTORIA DA ROSARIO, Brasília-DF)

ENTREVISTA CONCEDIDA (EM 2010) PELO CHEF ROSARIO TESSIER, PROPRIETÁRIO DA ‘TRATTORIA DA ROSARIO’, EM BRASÍLIA-DF:





1) Bom Rosario, fale um pouco da cozinha napolitana, da sua iniciação...

- Comecei a trabalhar em restaurante em 1971. Na época, ou a família podia te mandar para uma escola ou vc começava a trabalhar na pia em restaurante...não havia ‘glamour’...
Não haviam tantos restaurantes tb. Em Nápoles trabalhei 6 anos, e depois fui para o norte, já em 78. Há muitos peixes e massas com frutos do mar na região de Nápoles. E as pizzas, claro.


Nápoles


2) Como veio parar no Brasil?

- Trabalhei tb na Inglaterra e na Espanha antes de vir para o Brasil. Ao chegar ao Brasil comprei com um amigo o antigo restaurante ‘Enotria’ (Rio de Janeiro), e mudamos o nome. Depois vendemos, fiquei 6 meses no Hotel ‘Sheraton’ e com a minha parte na venda do ‘Enotria’ vim para Brasília. Quis transformar o ‘Gaff’ num restaurante mediterrâneo mas não consegui...depois abri o ‘Bocca de La Veritá’ com o Jorge Ferreira. Passei tb pelo ‘Partenopea’ e pelo ‘I Maestri’. Em 2003 abri o meu restaurante com 16 lugares.

3) Como vê a gastronomia italiana no Brasil hoje?

- Em 94 encontrávamos ainda poucos produtos importados. Verduras e hortaliças eram medíocres. Nos últimos 5 anos chegamos quase ao nível de São Paulo, melhorou muito. O nível dos restaurantes italianos melhorou junto.

4) Qual a proposta da ‘Trattoria da Rosario’?

- Minha cozinha é a do interior e das montanhas italianas. Temos sugestões que variam: Galinha d’angola, coelho, cordeiro, etc.

5) Sugira um antepasto, um prato principal e uma sobremesa para quem não conhece seu restaurante !

- Salada del golfo (folhas com frutos do mar), fettuccine na manteiga e sálvia com camarão e bottarga, e para fechar crème brûlée...

6) A cozinha do norte da Itália é melhor que a do sul, ou isto é mito?

- São diferentes, mas não há superioridade - isso é coisa do passado, quando o norte era muito mais rico que o sul.

7) Como napolitano, gosta da pizza brasileira?

- Sinceramente não me agrada muito o conceito brasileiro de pizza, há muita mussarela e muitas coberturas, muita mistura, é pouco saudável. Pizza é marguerita, alho e óleo e marinara (sem mussarela e com aliche)...

8) O que vc considera uma falha imperdoável num restaurante?

- Um prato quente servido frio...

9) Sente-se realizado?

- Me sinto. O público de Brasília é exigente e dá valor ao Chef que se sai bem.

10) Mencione um restaurante que lhe agrada em Brasília ! Tem admiração especial por algum Chef?

- ‘Dom Francisco’ (ASBAC). Chef Marcelo Piucco.


Marcelo Piucco


OBRIGADO.

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

CHOPP STÜBEL (Porto Alegre-RS)

TRI LEGAL 

Um bar, assim como um restaurante, pode ser extraordinário por vários motivos. You name it... Sempre haverá um conceito, uma fórmula, e esta última sempre será executada, bem ou nem tão bem(...). Vamos nos deter nos bares?! Então, a gente saindo por aí, viajando, verá muitos deles, vai gostar mais de uns que de outros, vai se divertir...mas pode eventualmente se aborrecer - por algum motivo - em um ou em outro. Cerveja fora da temperatura correta, petisco mal executado, serviço sofrível, banheiro horroroso, música alta demais, enfim, podem acontecer muitas coisas que comprometerão  a experiência.
Tive a ventura na vida de conhecer alguns bares e restaurantes extraordinários.Tomei alguns vinhos e várias cervejas extraordinárias tb. Comi coisas muito boas. Mas tb já me aborreci em bares e restaurantes, comi e bebi mal, fui mal servido, torrei grana em experiências facilmente esquecíveis, enfim, coisas de quem se expôs muito(...).
Na minha recente ida a Sampa, retornei a um do bares de que mais gosto, o bar alemão do Brooklin, o inimitável ZUR ALTEN MÜHLE, comandado pelos irmãos Werner e Carlos Heying. O ZUR é extraordinário por seu ambiente germânico antigo. Mas os bolinhos de carne tornam a experiência marcante tb!


Werner no Zur...



Um bar pode ser extraordinário por vários motivos, até a localização pode fazer a diferença. Tome-se p.e. o caso do ASTOR carioca, em frente ao mar de Ipanema. Leva uma vantagem enorme sobre a filial paulistana, que tem em frente uma praça comum na Vila Madalena...


ASTOR Rio
Em Brasília há bares e restaurantes extraordinários?! Claro que sim. A cervejaria LONDON STREET é extraordinária pela recriação classuda de um pub britânico, o que faz dela a cervejaria preferida do público mais maduro da capital. Chique, sem música alta, ótimas cervejas, fish & chips pra petiscar e no serviço um dos melhores garçons da cidade: Diogo Davi. Não posso deixar de registrar tb a presença constante da dona no bar, a poderosa Fernanda Mesquita.


Diogo
Já a cervejaria PUBLICAN é extraordinária nem tanto pela variedade, mas pela sofisticação da sua carta de cervejas, o que faz dela a preferida pelos mais exigentes em matéria de cerveja. É um bar que faria sucesso em qq. grande capital do mundo. O BAR BRASÍLIA é tb extraordinário, assim como  a VARANDA PÃES ARTESANAIS. O GERO e a FOGO DE CHÃO (mas falta aos mesmos personalidade local, pois são restaurantes que vieram de fora) são tb extraordinários.


VARANDA

Andei por aí e não conheci nenhum lugar novo que diria ser extraordinário, mas um me agradou em especial: O CHOPP STÜBEL em Porto Alegre. Tradicional restaurante e bar alemão da cidade, tem uma característica que entrega logo o perfil do seu cliente. Ora, um restaurante alemão que só abre para o jantar tem uma clientela basicamente de origem... alemã, afinal a comida alemã é considerada pesada por nós brasileiros para o jantar. Está tudo lá, bons chopes e umas poucas cervejas - poucas até demais eu diria - steinhäger, salsichas, joelho, chucrute e um petisco que me agrada bastante e é difícil de achar: Rollmops (arenque em conserva com pepino, admitindo variações). Note-se na foto abaixo que não é sanduíche.


Rollmops
Talvez o carro-chefe da bonita casa seja o sanduíche aberto de frios, queijos, ovos, etc. e tal servido 'à moda de Porto Alegre', como conta o proprietário Norton, fundador da já longeva casa. Ótimo petisco, dá pra 2. Gostaria muito de voltar ao STÜBEL para experimentar alguns pratos principais, uma sobremesa, pena a distância de Brasília. O ambiente classudo, o bom serviço e os preços justos completam o conjunto.




Então é isso, em Porto Alegre não deixe de comprar seu queijo colonial no mercado público e depois almoçar no tradicionalíssimo GAMBRINUS, visite a CASA DE CULTURA MÁRIO QUINTANA e, numa noite, vá jantar ou 'tomar umas' no tradicional CHOPP STÜBEL. Satisfação garantida.
Wir sehen uns um.

CHOPP STÜBEL
R. Mariland
Porto Alegre -RS


Cozinha/Bebidas - **1/2
Serviço - **1/2
Preços - **+
Ambiente - ***
Acolhida - não se aplica

*** - Excelente
** - Bom/Regular
* - Sofrível





terça-feira, 30 de outubro de 2018

NINNY (NINNY, Brasília-DF)





ENTREVISTA CONCEDIDA (EM FEVEREIRO DE 2008) POR NINNY, PROPRIETÁRIO DO RESTAURANTE ‘NINNY’(309 NORTE):

      1)  BOM, NINNY, FALE UM POUCO DA SICÍLIA E DE SUA GASTRONOMIA PARA OS BRASILEIROS!

- Tive a sorte de nascer em uma das terras mais ricas do mundo em termos gastronômicos. Uma verdadeira ‘Torre de Babel’.  Nasce Fenícia... e romanos ... passar por turcos, árabes – normandos (da Normandia), ... com angiannos (da Duca d’Angio, França) e espanhóis (Borbonnes). Tudo isso está harmonicamente misturado ganhando assim personalidade própria e  única.


2) QUANDO SURGIU SEU INTERESSE PELA COZINHA ?


- Sempre tive interesse, empurrado pelo mais nobre dos vícios capitais: A gula!

3) POR QUE DECIDIU VIR PARA O BRASIL E PARA BRASÍLIA?

- Por amor, só por amor. E se no início odiava Brasília ... agora não consigo ficar longe dela. Brasília já é parte de mim, uma parte indissociável. Não conseguiria mais viver longe de Brasília.


4) QUAL A PROPOSTA DO ‘NINNY’ E QUE PRATO RECOMENDA A QUEM NÃO CONHECE O RESTAURANTE?


- Ninny sou eu, no bem e no mal! Nunca cozinhei no restaurante alguma coisa que eu não gostaria de comer! Naturalmente massas, vários molhos ... sem cair na tentação do mercado, ficando preso às regras da tradição italiana, deixando bem pouco à fantasia!

5) VC É UMA FIGURA POLÊMICA E ALGUNS LHE ACHAM INTRATÁVEL, AMALUCADO, ARROGANTE, EXCESSIVAMENTE PURISTA (NÃO ACEITA MODIFICAR AS RECEITAS, ETC.) - QUER FALAR SOBRE ISTO?

- Tudo verdade! Posso ser grosso também! Depende muito do caso e do que o cliente quer de mim. Não gosto de abuso e menos ainda de abusados! Graças à Deus tem muita oferta no mercado, quem não gostar do Ninny não põe o pé lá.

6) TEM ADMIRAÇÃO ESPECIAL POR ALGUM CHEF DE COZINHA?

- Sim, chamava-se Gualtiero Marchesi, figura conhecida! Para mim é um monumento da gastronomia mundial, um Leonardo da Vinci, único e inigualável. Gostaria de saber fazer 1% do que faz o mestre, me sentiria satisfeito.



7) QUER MENCIONAR ALGUNS ESTABELECIMENTOS DE BRASÍLIA QUE LHE  AGRADEM ESPECIALMENTE?

      -   Don Giovanni (pizza); Nippon.
  

OSVALDO FILHO (QUEIJO D'ALAGOA, Alagoa-MG)

4 PERGUNTAS PARA OSVALDO FILHO, DO ‘QUEIJO D’ALAGOA’:  1) Então vc decidiu tentar salvar o queijo da sua região, vendendo o mesmo...