quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

CANTO DA PEIXADA (Manaus-AM)

Manaus
NO REINO DO TAMBAQUI


Eu não vou enganar ninguém, gostar de Manaus não é muito fácil não...porta de entrada da Amazônia, pra quem tem interesse em passeios de barco, incursões na selva, ver índios, raízes, temperos exóticos, etc. e tal a cidade é uma passagem; agora, pra quem só quer se divertir por uns dias numa cidade bacana é mais complicado. A combinação do calor - brutal em algumas épocas do ano - com o trânsito numa cidade que não se destaca pela beleza arquitetônica torna o turismo pouco atraente por lá, mas claro que, como em toda cidade grande, sempre tem alguma coisa pra ver e pra fazer!
Peixes num restaurante popular

Além do mais, pra mim não gostar de férias hj em dia tem que acontecer uma tragédia no meio delas (...). E eu revi o fulano afinal, fomos muito amigos, tem muita história da juventude!;) 
Me diverti por lá, mas confesso que não sei qdo. volto não, nem tanto pela distância, mas a cidade e o clima não colaboram, definitivamente.


Manaus

O bar mais famoso de Manaus é de dar medo - é feio e sujo, e o serviço é péssimo (...) - chama-se BAR DO ARMANDO... fujam!
Já a CACHAÇARIA DO DEDÉ vale a pena... muitas cachaças, cervejas de qualidade e bons petiscos - num cardápio muito bem montado - num ambiente alegre.




Mas, se quanto aos bares a cidade pode decepcionar, no quesito peixes de rio e cozinha regional a satisfação é garantida! Fui a vários restaurantes, os chiques e turísticos e os menos destacados na mídia, preferidos por moradores. O LENHADOR é um tremendo pega-turista, dispensável, a não ser que se esteja louco pra comer tartaruga e jacaré.
Gostei do AMAZÔNICO, mas restaurante imbatível pra mim em Manaus é o CANTO DA PEIXADA, ao qual tive o prazer de retornar;)


Manaus pode não ser grande coisa, mas o CANTO é, almoçaria lá toda semana se morasse lá. São peixes grandes e que vêm de longe segundo soube. O restaurante já tem 40 anos - talvez seja o mais antigo da cidade - e foi fundado por um alfaiate e um caboclo. São caldeiradas, peixes assados e a famosa costela de tambaqui, que em tempos idos rendeu um convite do (falecido) banqueiro Amador Aguiar à equipe do restô para irem a São Paulo, com tudo pago, fazer um almoço para...toda a diretoria do banco! 

costela de tambaqui
O CANTO tem uma fórmula matadora, pois é ao mesmo tempo simples e arrumado o suficiente para atrair tb - e talvez principalmente - os turistas, pois convenhamos, quem não é de Manaus não pode se sentir bem almoçando num restaurante sem ar condicionado, e o CANTO tratou de providenciar um salão com ar condicionado, tiro na mosca! Serviço de restaurante simples e preços compatíveis com a experiência. Evidentemente não é restaurante para se tomar vinhos e comer doces na sobremesa, aliás doce em Manaus só se for um sorvete, os de frutas regionais são excelentes por sinal!;)


CANTO DA PEIXADA
R. Emílio Moreira 1.677
Pça. 14
Manaus-AM

Cozinha - **1/2
Serviço - **
Preços - **+
Ambiente - **+
Acolhida - não se aplica

*** - Excelente
** - Bom/Regular
* - Sofrível



terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

TEJO (Brasília-DF)

Ponte sobre o Tejo, Portugal
COMIDA & CIRCUNSTÂNCIAS

Acontecem umas coisas engraçadas na restauração, um universo onde a necessidade (de comer) se mistura com o prazer (de comer bem e ser bem atendido, de preferência num restaurante confortável), o marketing cria expectativas - muitas vezes não atendidas - e ambientes requintados tendem a nos fazer achar - muitas vezes - que estamos comendo melhor do que realmente estamos (...) Quando vamos a um restaurante chique, premiado, com manobrista, adega climatizada, serviço de primeira, beautiful people no salão - e tudo isso eleva os preços do cardápio evidentemente - toda essa pompa, por assim dizer, nos leva a crer que vamos... comer muito bem! Se o cardápio tiver capa de couro e palavras em francês então nem se fala (...) 
Sábado aconteceu comigo algo que acredito que aconteça com todos de vez em quando: Ficar morrendo de vontade de comer uma coisa. Bife à milanesa desta vez, e não comia há tempos por um motivo bem definido: Bife à milanesa de bufê não presta, e daí ser difícil achar o preparo nos 'quilos' da vida. 
Bife à milanesa

Putz, tava alucinado pra comer o troço! Aí fui perguntar no 'quilo' ao lado de casa se tinha naquele dia, e não tinha...aí fiquei com mais vontade ainda;)... aí lembrei de um restaurante popular no final da asa sul que faz...aí acabei me atrasando pq. tinha esquecido de levar as roupas na lavanderia, a lavanderia já tinha fechado e tive que levar em outra...aí cheguei lá (no restaurante) e demorou um pouco pois é um prato do cardápio - lá é 'quilo' tb - aí quando a comida chegou devorei tudo rapidinho e...acreditem, tava muito bom, enfim, fiquei satisfeito! 



Mas, restaurante é sempre uma experiência, presa às circunstâncias. Quer dizer, o prato tava 'muito bom' pq. eu tava com bastante fome, louco pra comer aquilo, com alguma saudade daquele restaurante - apesar da total falta de conforto e charme do lugar - e finalmente pq. é razoavelmente bem feito mesmo o milanesa de lá, eu diria até que supera as expectativas de quem se senta numa mesa de plástico nos fundos de um restaurante de quadra de Brasília, e só tá pensando em matar a fome gastando pouco :) Pra quem ficou curioso, o restô chama-se LAMBISCO e fica na 314 sul, o milanesa dá pra 3 pessoas e o meio milanesa dá pra 2.
Donc, vc pode sair pra comer e achar algo ótimo - mas que não acharia em outras circunstâncias;) - e pode tb, numa situação diversa, sair pra comer num restaurante com destaque na mídia, Chef famoso, vista pro mar - ou pro lago de Brasília mesmo - etc. e tal... e comer pior do que imaginava, seja pq. a comida não presta mesmo - não é frequente - seja pq. vc foi vitimado pelo famoso excesso de expectativa - a comida não marca mas não chega a ser ruim - é muito frequente!
Aposto que se alguém que conhece o ANTIQUARIUS no Rio for ao novo TEJO de Brasília e pedir um bacalhau a Gomes de Sá se decepcionará...ruim não é, mas de regular tb não passa.

TEJO

Agora, se o pedido recair sobre o tradicional arroz de pato a impressão será outra... é excelente e servido numa versão abrasileirada da receita, mais molhadinho e sem ir ao forno. Para os fãs de picadinho, a pedida é tb segura. Na sobremesa, a sericaia não decepciona.


arroz de pato

Se falta conceito ao ANTIQUARIUS, tb falta ao TEJO, afinal a Casa pertence ao lendário maître (depois sócio, e agora ex-sócio) daquela Casa carioca, o português Manoel Pires. Trata-se (o TEJO) de um restaurante meio português, meio brasileiro e meio internacional, mas isso não invalida a iniciativa, calma! Agora, eu sou um crítico e devo cultivar os conceitos e as fórmulas:) Mas, se o restaurante pode decepcionar num prato de bacalhau, o serviço e o ambiente são de primeira. Carta de vinhos a conferir e almoço executivo. Futuro salão para eventos no segundo andar. Preços um pouco altos mas vários pratos divisíveis.


Manoel Pires no ANTIQUARIUS

Admiro demais o Manoel, que tem uma trajetória espetacular e sabe tudo de restaurante. É muito relacionado e tem tudo para emplacar um restaurante de sucesso no ponto onde funcionou o LE FRANÇAIS. Caso alguns ajustes sejam feitos na cozinha, o TEJO pode tornar-se uma referência em cozinha portuguesa em Brasília, que por incrível que pareça não tem um restaurante português da categoria do PORTO CAVE goianiense...
sericaia

É isso então, todos somos nós e as nossas circunstâncias, e os restaurantes tb tem as suas. Podemos achar um prato melhor do que ele realmente estava - e o restaurante se aproveita da sua fragilidade emocional - ou pior do que esperávamos, pois esperávamos... demais! E ele nem estava ruim, pobre restaurante!

TEJO
404 sul
Tem manobrista

Cozinha - **+
Serviço - **1/2
Preços - **
Ambiente - **1/2
Acolhida - **1/2

*** - Excelente
** - Bom/Regular
* - Sofrível

LIGURIA (Santiago do Chile)

RAPA NUI Tinha tempo que eu tinha vontade de ir lá , matei a vontade, e dei por visto como se diz. Ilha de Páscoa, ou 'Rapa Nui'...