segunda-feira, 23 de novembro de 2015

BELGIAN DASH (Goiânia-GO)

PUB DO CERRADO
Goiânia

Enfim o AQUAVIT renasce em Brasília, no segundo andar da antiga Casa de chá do Jardim Botânico. No térreo, fica a sanduicheria do mais brasileiro dos escandinavos, do amante do cerrado, do premiado, político e esperto Chef Simon Lau... e a elite brasiliense que trate de aprender a pronunciar s
mørrebrød, como são chamados os sandubas na Dinamarca!;) 

Casa de chá...eu nem sabia que tinha uma Casa de chá no JB, e fiquei curioso pra saber quem ia lá tomar chá em tempos idos, nesse calorão... enfim, Brasília tem umas coisas bizarras, já me acostumei. E enfiar um restaurante contemporâneo custoso num lugar desses não é pra qualquer um não, mas - justiça seja feita - o Chef Simon não é qualquer um mesmo não:)




Chef Simon Lau

Aquavit

O sanduba de pirarucu defumado com maionese de tucupi é sensacional, outros nem tanto, e a impressão geral que fica da sanduicheria chique é de que uma cozinha preparada se esforça para realizar a fantasia tropical do Chef que veio do frio e...consegue! Mas falta conforto no térreo, pois ficar sentado num banquinho feito de tora de madeira às 2 da tarde num calor de matar não é exatamente prazeroso...
Mudando de assunto, de onde será que vem a boemia?...Um cara de meia idade - mas pode ser um jovem ou um idoso tb - sozinho num bar, bebe pq. não tem ninguém ou pq. ele é assim mesmo? Será que algumas pessoas se bastam ou a solidão no fundo as devora, e o álcool as consola?...Será que o sexo casual, os romances efêmeros e as garotas de programa substituem o amor? É possível ser feliz sozinho, viver bem sem família?...São questões para muitas e muitas crônicas;)


O fato é que a vida boêmia, que assusta as pessoas mais conservadoras, é simplesmente... a vida para quem é boêmio!
Pensava nestas questões lá na BELGIAN DASH, em Goiânia, na sexta, tinha tempo que não ia lá, tava com saudade!

Seria um exagero dizer que a BD é a melhor cervejaria que conheço, mas ela acrescenta bastante a Goiânia, pobre ainda - mas já foi bem pior - em bares diferenciados. Parece que é de um médico da cidade, que se apaixonou por cerveja numa viagem ao exterior - quem já tomou uma trapista belga, uma alemã de trigo, uma stout irlandesa ou uma pilsen tcheca sabe que não é difícil se apaixonar por cerveja de qualidade:) - até um certo ponto, o que acho mais bacana na Casa é a preocupação com o conforto dos clientes, pois a Casa que nasceu pequena ganhou uma boa reforma, com novas mesas na área externa que integram um espaço avarandado muito aprazível. Situada numa área afastada da 'muvuca' dos setores marista, oeste e bueno, e de aspecto interiorano, a sofisticada BD faz um contraste curioso com a vizinhança!




Eu adoro um pub, nossa, aquele lugar meio fechado e meio escuro, rock tocando, cerveja boa;) Na BD na sexta tinham 2 chopes alemães (cevada e trigo) e nada mais, nada menos que... Sua Excelência o emblemático chope escocês Brewdog Punk Ipa! Tem cervejas (em garrafas) e é tb loja. Pra comer as previsíveis salsichas, linguiças, tábua de frios, quibes e um petisco irresistível para quem conhece a cidade: Empadinhas de frango, 'as melhores de Goiânia' segundo o cardápio...mas são apenas razoáveis.






O serviço é o que se pode esperar de um bar em Goiânia, aceitável. Preços justos.

Eu gosto da BD, é sem dúvida um dos meus cantinhos favoritos na cidade da eterna primavera. Passei bons momentos por lá, e desta última vez me perguntava se a boemia não será no fim das contas uma história pra contar - e se for é então parte da minha história - os muitos bares onde estive, os petiscos que provei e os muitos copos que entornei, os muitos garçons que me serviram, os amigos, os rocks que ouvi, as moças que olharam pra mim;)...

BELGIAN DASH


R. 91, nº 184
Setor sul
Goiânia-GO

Cozinha/Bebidas - **+

Serviço - **
Preços - **
Ambiente - **1/2
Acolhida - não se aplica

***- Excelente

**- Bom/regular
*- Sofrível

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

CANTINHO DO EISBEIN (Curitiba-PR)

Curitiba-PR
CURITA

Eu voltei, e voltei renascido...
Fui a tantos bares e restaurantes - nenhum luxo, já que ninguém escapa disso nas férias - que ainda preciso organizá-los na minha cabeça...é verdade que muitos já conhecia, pois gosto muito de alguns estabelecimentos, e tb preciso me manter atualizado sobre eles!
Realmente, pra mim é muito difícil em Sampa deixar de ir ao germânico ZUR ALTEN MÜHLE, um bar que tem tanta personalidade que só falta sair andando e falar;)


Carlos Heying, ZUR ALTEN MÜHLE
Acho que doravante sempre revisitarei tb o EATALY em Sampa - gamei, é lindo, organizado, tem o melhor capuccino que tomei na vida, pães, queijos, azeites, massas, vinhos, peixes, embutidos, restaurantes, enfim... o melhor da Itália num prédio dedicado a promover a maravilhosa gastronomia deste país no Brasil - é de babar, e eu não babo com frequência não!


EATALY

No Rio, é difícil resistir ao ASTOR e ao DELIRIUM CAFÉ...aliás, é difícil resistir ao Rio de maneira geral;)
Em Belô, é grande a tentação de revisitar a SALUMERIA CENTRAL, o CAFÉ VIENA BIER e o vetusto TIP-TOP...



Café Viena Bier

Nesta temporada fora, tive tb a oportunidade de ir a novos lugares, comparar fórmulas, e voltei até valorizando mais os estabelecimentos de Brasília, que podem eventualmente ser superiores em um ou outro aspecto aos badalados estabelecimentos das metrópoles do sudeste:) Um exemplo: O EMPÓRIO SOARES & SOUZA da 403 sul é mais confortável e tem uma cozinha melhor que o BREWDOG BAR em Sampa, o DELIRIUM CAFÉ do Rio e o CAFÉ VIENA BIER em BH, e palmas para a Chef Etiane Regina do EMPÓRIO S&S que ela merece!
Curitiba, tinha que dar uma segunda chance pra essa cidade, tentar gostar dela, fiz isso e...consegui! Curita, seus bares, parques e cafés...Curita, seu mercado, farinha de Morretes...Curita, terra da BODEBROWN e da WAY...Curita, suas ruas limpas e seu povo educado e reservado -  reserva tb imposta pelo clima frio, que tira as pessoas das ruas e das áreas abertas, diminuindo o convívio social - Curita, gostei de vc;)
Vou recomendar um restaurante alemão em Curitiba, adorável, o que muitos restôs franceses e italianos conseguem ser, mas só uns poucos alemães: O CANTINHO DO EISBEIN.



Aberto pelo Sr. Egon Tahrun, descendente de alemães e ex-funcionário da Volkswagen (mais alemão impossível...), servindo no início só o eisbein uns poucos dias da semana, o restaurante com o tempo diversificou o cardápio, cresceu e tornou-se uma referência em culinária germânica no sul do país, o que equivale a dizer que é uma referência no país.
Sr. Egon
Salsichas, kassler, eisbein (claro!) e, o que é mais raro, marreco recheado. Às quintas, bufê de comida alemã no almoço, pra espantar o frio frequente:).
Fui lá 2 vezes e gostei bastante, em especial do estrogonofe e do creme que acompanha a ótima apfelstrudel. A bebida recomendada é evidentemente a cerveja alemã.




Preços ótimos no almoço executivo e preços justos no cardápio normal. Este tipo de restaurante fica mais barato quando se vai com mais alguém para dividir o prato, atenção. Serviço correto.
Em Curita faça o passeio de ônibus que roda a cidade toda, suba na torre panorâmica, respire seu ar frio - os moradores mais antigos contam que o frio diminuiu - tome um chocolate quente no CAFÉ DO PÁTIO, tome umas no HOP'N ROLL PUB e vá almoçar no CANTINHO DO EISBEIN. 
Gostaria muito de ter levado a fulana pra almoçar no CANTINHO, mas não consegui falar com ela, não sei dela nem quando vou ver ela...


CANTINHO DO EISBEIN

Avenida dos Estados, 863 Água Verde, Curitiba - PR 

Cozinha - **1/2
Serviço - **1/2
Preços - **+
Ambiente - **1/2
Acolhida - **+

***- Excelente
**- Bom/Regular
*- Sofrível

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

ASTOR (Rio de Janeiro-RJ, com filial em São Paulo-SP)

Rio
BRISA
(Para Nitter, com quem eu tomava chopp no Rio muito antes do ASTOR)

As ideias simples são as melhores, às vezes um produto que em si não carrega maior sofisticação pode surpreender, e a gente pode tb sair pra fazer um programa banal e se deliciar se souber escolher! Infelizmente, na maioria das vezes para viver certas experiências é tb preciso ter mais grana que a maioria, mas c 'est la vie...
Tomar uma cerveja numa quadra comercial de Brasília não carrega consigo nada de extraordinário, mas se vc vai na GROTE MARKT e pede uma (cerveja escocesa) Brewdog 5 a.m. Saint isso mudará sua perspectiva sobre cerveja, e talvez até a sua vida.Volta e meia alguém se apaixona por cerveja, muitas vezes numa viagem, e depois abre uma cervejaria, às vezes até deixando pra trás a antiga atividade! Eu não consigo mais viver sem tomar cerveja de qualidade, e se minha vida não mudou por causa da cerveja pelo menos tornou-se muito mais gostosa;)

Grote Markt

Aliás eu não gostaria de mudar de vida não, acho ela bastante boa!
Um outro programa banal seria ir comer um sanduba numa lanchonete dentro de um parque num fds. Pense então num dia brasiliense típico - quente (...) - e vc indo pro parque comer um sanduba de peixe com maionese e umas folhas e temperos. Putz, parece comida que gente que mora sozinha come quando tá de ressaca!;) 


O Chef Simon Lau (à esquerda) e o sócio Luiz Otávio - AQUAVIT

Mas é a tal história, se for um sanduba de pirarucu defumado com maionese de tucupi feito pelo Chef Simon Lau - talvez o escandinavo mais brasileiro do mundo, o amante do cerrado, o cara que conseguiu 3 estrelas do Guia 4 rodas para um restaurante em Brasília - aí a coisa muda...e vc pode até começar a pensar numa viagem à Dinamarca nas suas próximas férias para comer todos os sandubas que puder!

 Smørrebrød (sanduba dinamarquês)


Eu nasci no Rio, morei lá muitos anos, voltar pra lá não tenho vontade não, mas confesso que tenho uma ponta de orgulho quando vou ao ASTOR carioca, as raízes mostram que são afinal ...raízes!
Voltei ao ASTOR mais uma vez esses dias, é uma covardia um bar daqueles de frente pra praia de Ipanema - afinal das contas, quem conhece o Rio sabe que até um mendigo que dorme na rua em frente à praia de Ipanema não vai querer deixar o seu 'ponto' facilmente;) - ah, o Rio... ah, o mar... ah, as meninas do Rio...


Filial de uma Casa paulistana (e fazendo ambas parte de um grupo) situada na badalada Vila Madalena (que eu tb conheço, claro, eu sou rodado!), o ASTOR é um bar classudo, voltado pra coquetéis, destilados, mas o chopp é bem tirado, com algumas variações.


 Petiscos de prima e cozinha boêmia...pastéis, canapés de besteira à milanesa (quadradinhos de bife à milanesa com queijo em cima, tudo espetado num palito - pense numa coisa boa, e engordativa, o que a torna melhor ainda;)), canapés de steak tartar \o/, ostras, ovos boêmios, bolinhos da bacalhau, de arroz, tudo muito bom. Pratos? O picadinho reina soberano, com ovo poché. Mas tem bacalhau, strogonoff, filé Osvaldo Aranha, alheira, feijoada, rabada \o/ - atenção, alguns pratos só são servidos em determinados dias da semana - bom chega, quem não gostou de nenhum até agora não gosta de nada!

Picadinho

Serviço eficiente e preços compatíveis com o conforto e a localização espetacular. Ambiente bem cuidado, um primor.
Fulana não quis me ver dessa vez, mas tudo bem...
O ASTOR tem tb saladas, sobremesas e vinhos, mas convenhamos, pelo que vc leu até agora nem precisava...

ASTOR (tem filial em São Paulo)
Av. Vieira Souto, Ipanema
Rio de Janeiro-RJ

Cozinha/Bebidas - **1/2
Serviço - **+
Preços - **+
Ambiente - ***
Acolhida - não se aplica

*** - Excelente
** - Bom/Regular
* - Sofrível




quinta-feira, 3 de setembro de 2015

DONANA (Salvador-BA)

Salvador
DENDÊ

Terá sido real, ou foi só um sonho, ou uma alucinação?! Foi real sim, afinal eu não uso drogas, não estou senil e nem mesmo tinha tomado umas cervejinhas naquele dia. Sim, no final da tarde de um dia de semana eu olhava para o mar enquanto aguardava um bobó de camarão no tradicional YEMANJÁ de Salvador!;) Claro que eu sei que isso não é pra qq. um, mas tb não precisa ser rico...a vida tem muita coisa boa afinal, e embora eu não pretenda viver muito ainda quero mais uns aninhos aqui neste mundo - maravilhoso - mas tb confuso e injusto...
YEMANJÁ tem o seu charme de restaurante praiano turístico, suas paredes azuis, as baianas, e um bobó de camarão estupendo! Qq. um que traça aquele bobó com uma pimentinha e come uma cocada depois sai dali meio baiano, não tem jeito...a Bahia não é a minha praia mas tem umas pegadas fortes 'meu Rei';)


Yemanjá

Em Salvador já estive várias vezes, ficando invariavelmente no Rio Vermelho, bairro boêmio onde morou Jorge Amado. Ali fica a FOGO DE CHÃO, que não tem muito a ver com o despojamento - e a pobreza - da cidade mas tem tudo a ver com uma preferência nordestina: O churrasco. Quem gosta de camarão mesmo é o brasiliense, nunca vi tanta paixão!;). Mais autêntico no bairro é o acarajé de Dinha, onde a baiana pega a colher que mexe no acarajé com a mesma mão suja que recebeu o dinheiro do freguês. Mas Salvador é assim mesmo, pobre e autêntica, ame-a ou deixe-a! Eu não tenho muita dificuldade em ir embora não, confesso...


Acarajé da Dinha

Eu como acarajé, moqueca, mariscada, vatapá, abará, bom, eu como quase tudo...;) Mas pra mim o grande prato baiano, e um dos grandes pratos do país, é o bobó de camarão...


Bobó de camarão

Em restaurantes turísticos de Salvador come-se bons bobós, moquecas e ensopados - os últimos ideais para quem quer algo mais leve, sem azeite de dendê - Pode ser YEMANJÁ, KI MUKEKA, BARGAÇO, DADÁ...


Chef Dadá

Tem DONANA tb, totalmente integrado à paisagem, ali em Brotas, numa área pobre da cidade para brasiliense, mas remediada para soteropolitano(...). A gente entra e, num ambiente quase de bar, é logo informado que o ensopado de camarão serve 1 homem e 2 mulheres - ou seja, o restaurante é honesto, pois em outros tentam empurrar comida, isso já aconteceu comigo em YEMANJÁ inclusive - ponto para a Casa. Bolinhos de peixe OK e um ensopado delicioso, embora o molho tenha ficado devendo um pouco mais de corpo. Para beber uma jarra de água de coco. Conta: Menos de 50 pratas por pessoa, e os brasilienses de queixo caído...Servem um sarapatel avalizado pelo meu amigo Hamilton \o/. Esqueça vinhos e tome cerveja. Serviço de lugar simples.


Ensopado de camarão

Claro que DONANA nunca terá a magia e o conforto de YEMANJÁ, a vista do mar... mas para uma experiência num lugar autêntico e com ótima comida eu recomendo. 
O fato é que eu não deixo a Bahia de coração partido não, numa boa, mas aquilo lá é Brasil profundo, Brasil com dendê e pimenta "meu Rei"!...

DONANA
Centro Comercial do Conjunto dos Comerciários - Avenida Teixeira Barros, s/n - Brotas (tem filial em Villas do Atlântico)
Salvador-BA



Cozinha - **1/2
Serviço - **
Preços - ***
Ambiente - **
Acolhida - não se aplica

*** - Excelente
** - Bom/regular
* - Sofrível






sábado, 13 de junho de 2015

OLIVER ST. JOHN GOGARTY (Dublin, Irlanda)

BAILE ÁTHA CLIATH* - Para Graham Surman
Cliffs of Moher, no oeste do país


Um sonho, uma escapada da realidade, momentos preciosos que serão lembrados para sempre, algumas viagens tem este significado...a grana da maioria é limitada, as férias tb, e na velhice ninguém sabe como vai estar de saúde e de grana, muita gente que adiou a realização de sonhos para a velhice ficou sem eles (...).
Nunca me esquecerei do avião deixando o Reino Unido e sobrevoando o mar da Irlanda rumo a Dublin. 
Irlanda, celtas, vikings, normandos, língua gaélica, uma terra de muita história e de muitas batalhas, terra de escritores, terra do U-2 e da Guinness, terra de gente ruiva:)
Pra mim, estar num lugar cheio de história, de uma natureza arrebatadora e ótimas cervejas, em particular as stouts, já é mais que suficiente;) mas tem ainda a música, a literatura e o uísque irlandês, quer dizer, a Irlanda é uma overdose!


Dublin

Pra completar, um povo caloroso e educado recebe a todos disposto a partilhar o seu país e as suas tradições. Ficaria lá 1 ano, dormindo em castelos e conhecendo os pubs do país, as cervejas... quando cansasse das cervejas, partiria para os uísques!;)
Eu não fui à Irlanda pensando em comer bem. Como todos sabem, as Ilhas britânicas são pra quem quer beber bem. E isso eu consegui. Mas tive a impressão de que lá come-se melhor que na Inglaterra ou na Escócia, mas para afirmar isso com mais convicção teria que conhecer melhor esses países, enfim, há sempre uma margem de erro quando se escreve sobre um assunto complexo como a restauração.


Torneiras de chope num pub irlandês

Algo que me chamou a atenção foi que o pub irlandês típico é um bar diurno, serve almoço e fecha cedo. O petisco não é muito difundido, servem castanhas ao chegar a bebida. Quer dizer, vai-se ao pub pra beber (e não é pouco...), assistir um jogo na TV, ver os amigos...e quem quiser comer deve esticar num restaurante ou international pub. Em Dublin, estica-se invariavelmente em Temple Bar para tomar a última e comer algo. Os irlandeses consideram a cerveja um alimento, e então enquanto se bebe não é necessário petiscar; em outras palavras, em restaurante se come, em pub se bebe, simples assim!




'Oliver St. John Gogarty' é um international pub no coração de Temple Bar, tradicionalíssimo. Pub no térreo com música ao vivo, restaurante irlandês no primeiro piso, e pousada nos andares de cima. Uma festa no térreo, e vc se recompõe nos andares de cima;)


Pão de cerveja 'Guinness'

Restaurantes tradicionais em áreas cheias de turistas, sem maiores virtudes, podem sobreviver por muito tempo graças aos turistas, mas há os bons tb. Parece ser o caso do 'Oliver SJ Gogarty'...No couvert, pão de Guinness, depois escolher entre várias receitas tradicionais - na dúvida vá de Irish stew (guisado de cordeiro) que não tem erro - e ao final doces ou queijos irlandeses, nada mal, tudo very irish!:) Muita cerveja e vinhos. Serviço eficiente. Preços compatíveis com a experiência.



Eu fui feliz na Irlanda. E quando eu tomei uma pint de Guinness no bar do museu da cervejaria, olhando para a fábrica da mítica cerveja, e com Dublin ao fundo, eu fui absurdamente feliz...

*Dublin em gaélico.

OLIVER ST. JOHN GOGARTY
58 Fleet St., Dublin - IRLANDA

Cozinha - **1/2
Serviço - **+
Preços - **+
Ambiente - **1/2
Acolhida - **+

***- Excelente
**- Bom/regular
*- Sofrível










sexta-feira, 15 de maio de 2015

CONFRARIA DO BOXEXA (Pirenópolis-GO)

PIRI, 'OVER AND OVER'...

De vez em quando a gente acerta...eu já sabia que o fds passado, em maio e em seguida a um feriadão (com Festival de cerveja ainda por cima!), seria um fds perfeito pra ir a Piri...acertei na mosca! No sábado saí daqui meio desanimado, tempo encoberto, tive até que colocar calça comprida, mas fui...e no domingo parece que a natureza resolveu recompensar quem estava por lá com um lindo dia, quase mágico;) Tinha lugar na pousada, nos restaurantes, nos bares, tinham poucos carros nas ruazinhas, putz, que delícia, difícil foi sair de lá!:)
Aliás, pode ser que um dia eu não saia mais de Piri, decida ir viver por lá, morrer por lá, quem sabe?! Mas eu não sou de planejar muito não, a gente não consegue controlar tudo e depois quebra a cara - pode ser que eu acabe os meus dias em Piri mas pode ser que o rumo seja outro tb - cada vez mais procuro viver um dia de cada vez:)
Piri, cerrado, pamonha, Babilônia, Rua do Lazer, Abade, o sol castigando as calçadas antigas, Igreja Matriz, lampiões iluminando amantes, licor de baru, Bonsucesso, Piri amada pelos brasilienses chova ou faça sol, Rua Direita, sorvete na Rua Nova, empadão goiano, Pouso do Sô Vigário... Piri, o que seria de mim sem ti?!;)



Pois é, devaneios à parte, o fato é que não há lugar como Piri para os brasilienses: Perto, totalmente diferente de Brasília e dentro do orçamento da maioria, pronto, falei!
Nesses últimos 20 anos, meu tempo de observação da gastronomia e da boemia de Brasília e seus arredores, muita coisa mudou...
Quando eu conheci Piri, à noite ou se ia no lendário 'Caffé Tarsia' ou no 'Aravinda', não tinha praticamente mais nada!
Hj o panorama é outro, e a cidade revelou forte vocação boêmia:). O extinto 'Piri Pub', 'Confraria do Boxexa', 'Pireneus Café & Forneria', 'Armazém da Rua' (hj tá mais pra loja, mas na época da Rua Direita havia umas apresentações noturnas por lá), 'Seo Rosa Cachaçaria', 'Eco Freak', enfim... há outros, mais novos ou mais antigos, mas a ideia não é fazer lista completa.



Poucos restaurantes gastronômicos resistem ao tempo por aquelas bandas, num lugar difícil e de público flutuante, dia de semana não se ganha, fds às vezes se ganha, às vezes não(...), e os feriadões é que salvam a pátria. Foi-se o 'Le Bistrô', foi-se o 'Chez Edgard', foi-se o 'Caffé Tarsia' - do qual fui sócio num curto período - Há quem resista bravamente há anos contudo: 'Aravinda' é já vetusto... 'Empório do Cerrado', 'Bacalhau da Bibba'... e o 'Montserrat' vai se firmando!


O extinto 'Caffé Tarsia', na Rua do Lazer

O goiano Paulo D'Ávila, o popular 'Boxexa', firmou-se na Rua do Lazer. Nos fds, sua filha Ilka o ajuda a atender a clientela. O Paulo é, antes de tudo, um comerciante de mão cheia - seja na (difícil) arte de lidar com as pessoas, seja ao perceber o que o público quer - e o brasiliense em Piri quer ver o povo passar na rua, encostar no balcão, prosear, tomar um licor de baru, comer um pão de queijo recheado com... pernil, tomar uma geladinha com...paçoca, coisas simples - risotto, foie gras e lagostim o brasiliense (e o goianiense idem) tem na cidade dele, quem não sacar isso em Piri corre o risco de se dar mal - como diferencial, o Paulo investiu nas cervejas de qualidade e em cachaças. Há tb pratos (como a panelinha de linguiça caipira;)), sandubas (tente o de sardinha), cafés. Faz sucesso a porção de mini kaftas.


Paulo 'Boxexa' e a filha Ilka
Serviço compatível com o de bar que vive cheio. Tem um salão interno para quem desejar privacidade ou fugir da chuva/frio. Preços na média. O balcão dá charme ao local, mas eu diria que o ambiente não é o destaque da Casa, e sim a hospitalidade goiana - o Paulo 'Boxexa' e a Ilka encarnam muito bem isso - é muito autêntico o bar.
Eu já gostei mais de Piri, mas continuo achando bastante bom ir pra lá, a paisagem da estrada já faz parte de mim, chegar lá e adentrar a pousada, sair pra tomar um café e olhar as palmeiras da Rua Aurora, não tem jeito, Piri não sai mais de mim...




CONFRARIA DO BOXEXA
Rua do Lazer
Pirenópolis-GO

Cozinha/Bebidas - **1/2
Serviço - **
Preços - **+
Ambiente - **+
Acolhida - não se aplica

***- Excelente
**- Bom/regular
* - Sofrível




quinta-feira, 5 de março de 2015

MONTSERRAT (Pirenópolis-GO)

RIO DAS ALMAS (Para Carla Boechat)

Nossa, já faz mais de 20 anos que eu vivo aqui neste planalto central, terra de crepúsculos comoventes...já aconteceu tanta coisa, viagens, restaurantes, noites e mais noites;) Bom, mas como eu não sou rico trabalhei pra burro tb! Namoros quase nada, parece que não nasci pra dividir a vida, ou então não encontrei a famosa 'mulher certa', mas é certo que homens que visam mais compromisso e vida familiar levam vantagem com as mulheres, devo reconhecer...
Me divirto um bocado saindo por aí, pelas noites e restaurantes, embora possa me aborrecer tb, mas faz parte do jogo...os resultados da paquera e do sexo casual já foram melhores, confesso, mas a paixão sexual é jovem por excelência, e as opções diminuem com a idade, c'est la vie...
Minhas escapadas goianas são um clássico na minha rotina: Goiânia nos feriados, Piri nos fds e Itiquira (nos arredores de Formosa) aos domingos, sem falar nos restaurantes rurais.


Salto de Itiquira

Goiânia deu uma melhorada boa na gastronomia e na hotelaria (principalmente talvez), há 15 anos atrás  hotel 4* só tinha 1, restaurante top era o PIQUIRAS (atenção, não estou dizendo que é ruim) e bar só os que serviam cerveja comum, picanha na tábua e bolinho de arroz, sem charme e barulhentos - mas animação nunca faltou, justiça seja feita! Hoje os tempos são outros, a gente toma chope importado na BELGIAN DASH, se esbalda com as salsichas e o eisbein do CHEF KNUT e se delicia com os sabores da terrinha no PORTO CAVE, um dos melhores restaurantes portugueses do país. Além do mais, tem restaurantes de grupos (MADERO, etc.), pizzarias de primeira, o cenário é outro na cidade da eterna primavera...ainda bem;)


Porto Cave, Goiânia

Não sei se fulana recebeu aquela cartinha que eu mandei pra ela, e se recebeu não sei o que achou, depois de tanto tempo...quer dizer, eu tenho certeza que ela gostou - caso tenha recebido, claro - o que eu não sei é no que vai dar;)
Eu tenho ido menos a Piri, e acaba que quando eu vou gosto mais, é a lógica das viagens, quem nunca foi a Paris quando vai acha mais graça que o magnata que vai 3 vezes por ano há 20 anos:) Piri vive cheio e não faço questão de rever certas pessoas, alors...

Morro do cabeludo - Foto: João Paulo Barbosa

Mas semana passada tava ótimo, e aproveitei pra revisitar o MONTSERRAT, restaurante de um espanhol que se radicou lá, um Fotógrafo bem relacionado que viveu muitos anos em Brasília, o Chef Juan Pratginestos.


Chef Juan

Em primeiro lugar eu respeito quem monta um lugar de conceito mais sofisticado em Piri, um lugar difícil para o comércio, onde se encher de cerveja barata e comer pratos da região são alguns dos programas principais da maioria - na calçada e muitas vezes de bermuda, mesmo à noite. Quer dizer, tá longe de ser fácil se dar bem com restaurante gastronômico por lá - pra mim, comércio em Piri nunca mais...
O restô do Chef Juan soma à cidade tão querida dos brasilienses ao oferecer um ambiente de bom gosto na beira do Rio das Almas, uma adega razoável  e um bom serviço para os padrões de Piri - a Faculdade da UEG tem fornecido mão de obra qualificada para os estabelecimentos da cidade, ótimo!



Mas, se o MONTSERRAT soma não é pela cozinha, cuja característica mais marcante é não marcar (...). Almocei lá 4 vezes, e salvou-se uma farofa com cebolas carameladas, realmente ótima, mas uma farofa sozinha não faz um restaurante...o problema da cozinha contemporânea é a falta de formação de muitos Chefs (não estou dizendo que é o caso do Chef Juan), a  invencionice sem respeito aos parâmetros, às combinações que se afirmaram ao longo do tempo. Eu gosto de dizer que os clássicos são clássicos pq. são bons, ora! Qual é neste sentido a superioridade do 'picadinho' do Chef Juan (sem arroz, sem ovo, sem banana e com batatas chips) em relação ao 'picadinho' clássico? Nenhuma, a releitura dele piora o picadinho, essa é a verdade!



Eu adoraria recomendar vivamente um restaurante em Piri, mas o MONTSERRAT, já aos 5 anos de vida, revelou-se mais uma aventura gastronômica num lugar charmoso que um bom restaurante. Mas enfim, como Piri é um lugar difícil para a gastronomia e pobre em opções de bom gosto, é melhor com ele (MONTSERRAT) que sem ele...

MONTSERRAT
Rua do Rio das almas
Pirenópolis-GO

Cozinha - **
Serviço - **+
Preços - **
Ambiente - **1/2
Acolhida - não se aplica

***- Excelente
**- Bom/Regular
*- Sofrível


PUBLICAN BAR (Brasília-DF)

REFLEXÕES BOÊMIAS Brasília, quem te viu e quem te vê... Incrível a transformação no cenário gastronômico e boêmio da cidade nos últimos...