segunda-feira, 22 de abril de 2019

BARISTA SULAYNE SHIRATORI (Brasília-DF)

5 PERGUNTAS PARA A BARISTA SULAYNE SHIRATORI:



1) Por que decidiu trabalhar com cafés?!

- O setor do café apareceu na minha vida, num momento em que estava iniciando o conceito de "café Gourmet". Foi em 2004 que tudo começou, um momento tímido, onde existiam pouquíssimas cafeterias que priorizavam a qualidade do café. Pois bem, como em qualquer negócio o primeiro passo é conhecer o setor, busquei informações e bons contatos para que pudesse iniciar o projeto da melhor forma. A minha meta era qualidade, apesar de ter pouco conhecimento sobre café. O meu primeiro parceiro foi o italiano Antonello Monardo, um dos pioneiros na cultura do café gourmet em Brasília. Com o passar do tempo fomos fortalecendo a parceria, bem como a amizade. Em pouco tempo me vi apaixonada pelo assunto... e com isso busquei me profissionalizar, fazendo cursos de Barista, degustação, inúmeras especializações em café. Um momento que me pegou de verdade, como dizem: "um bichinho do barismo" me picou, foi quando ministrei meu primeiro curso de Barista. Ali eu pensei, "disseminar a cultura do café será o meu grande objetivo !! " De lá para cá, não parei mais. Agora, tenho um espaço que se chama: Los Feliz Café/ Lab. & Co. onde tenho a oportunidade de trabalhar minhas consultorias, cursos de Barista e especialização em café. Atualmente, minha alegria está em disseminar a Cultura do Café - como diria Cora Coralina - " "Feliz aquele que transfere o que sabe, e aprende o que ensina."

Antonello Monardo

2) Além dos tradicionais ingredientes como água, leite, chocolate, vc já utilizou um outro que proporcionasse uma experiência inusitada para os apreciadores de café? Se sim, conte-nos como foi esta experiência...

- Não é necessariamente "novo", mas é uma experiência que encanta as pessoas, é a possibilidade de experimentar o café em diversos métodos: filtrado da marca Hario V60, percolação da Moka, Cafeteira Francesa, Aeropress, Chemex, Clever e outras formas novas de preparação do café. Além de um preparo contemporâneo que se chama: Cold Brew, que significa " extração a frio", onde fica de 12h até 36h na geladeira, uma verdadeira extração do café a frio. Um método inovador para os brasileiros, que agora estão se acostumando a apreciar o café frio!!

3) Como vc avaliaria o café brasileiro - quanto à qualidade - no contexto mundial?

- O café sempre teve grande importância na balança comercial. No cenário internacional, lidera há muitos anos, com o título de maior "produtor e exportador" de café. Porém, há pouquíssimo tempo que saímos da condição de país commodity para marcas que priorizam o valor agregado, e além de produzirem excelentes café " in natura" desenvolvem marcas de café, com sensacionais perfis de torra e notas sensoriais. Diversos países procuram nossas propriedades em busca do melhor café. Além de produzirmos em escala, somos cobiçados pelos nossos manejos culturais e pela tradição. Não poderia deixar de citar os fatores que nos colocam em primeiro lugar no ranking, e que são: desenvolvimento, tecnologia, volume e também qualidade.

4) Quais as principais atividades de um Barista?

- O Barista é o profissional responsável pelo serviço do café numa cafeteria. É dele a responsabilidade da excelência do Café. Sobretudo, ser conhecedor de todos os elos da ‘cadeia’. O Barista está na ponta desta ‘cadeia’, por isso desempenha um papel de extrema importância para a qualidade do café na xícara.


5) Onde seu trabalho pode ser conhecido aqui em Brasília? Mencione um restaurante aqui que lhe agrade e sirva um excelente café, claro!

- Bom, para conhecerem meu trabalho em Brasília, poderão visitar o Antonieta Café (708/709 norte), onde compartilho o espaço, e tenho um laboratório o Los Feliz Café/Lab. & Co. Também, poderão conferir meus trabalhos nas mídias sociais - @sulayneshiratori (Instagram e Facebook) e @losfelizcafelab (Instagram e Facebook).
Pois bem, não gostaria de citar um restaurante, pois a maioria valoriza a qualidade da comida e negligencia a qualidade do café. Sobretudo, irei citar excelentes Cafeterias que priorizam o conceito de "Café Especial". Meu roteiro de bons cafés é: Antonieta Café (708/709 norte), Los Baristas, Clandestinos, Seu Patricio Meu Querido Café, Objeto Encontrado, Castália casa de pães, Belini Cafés Especiais, Dr. Café, Ernesto Café.



ANTONIETA CAFÉ

OBRIGADO.

segunda-feira, 1 de abril de 2019

TIBORNA (Brasília-DF)

NOVIDADE DE PESO

Eu gosto muito de ir a cervejarias, não sei se já notaram (...) Mas, cervejarias tornaram-se bares muito sofisticados com a abertura das importações e a proliferação das cervejas artesanais no país. Putz, um casal sai pra tomar 'umas' e comer um petisco e a conta bate em 250/300 pratas, sem muito esforço! É praticamente o que se gasta num bom restaurante num jantar, e tomando vinho.
Eu sempre gostei dos bares populares, desde o tempo em que não podia nem pensar em deixar 150 pratas num bar numa noite. Os bares populares são geralmente maiores que os bares sofisticados, tem um público maior e mais variado e, muito significativo para o meu trabalho, possuem cozinha e variedade de petiscos. Por melhor que seja a cervejaria ou o bar de vinhos, tapas, etc., será no bar popular que vamos encontrar moelas/língua ao molho com pão cortado em rodelas, fígado com jiló, pastéis, provolone à milanesa, etc. e tal;)


Provolone à milanesa

Quando cheguei a Brasília o cenário de bares não era grande coisa. O de restaurantes tb não (...) A gente ia onde tinha pra ir: BEIRUTE, BIER FASS, MARTINICA CAFÉ, WHISKERIA BERLIM, o extinto SCHLOSS, NA VENDA, enfim...Até hj vou a esses bares às vezes, comer salsichão no velho BIER ou uns pastéis no MARTINICA, lembrar dos meus primeiros tempos aqui;) Alguns desses bares tem o diferencial de abrir toda noite, são guerreiros como gosto de dizer, ponto pra eles!



Os bares do finado Jorge Ferreira foram um divisor de águas no cenário boêmio brasiliense. Pra mim, ele fez o BAR BRASÍLIA e o resto. Nada mais do (muito) que ele fez se igualou à este grande bar! Ambiente carioca tradicional e cardápio do sudeste (SP/RJ/MG), eis a fórmula vencedora dos bares/restaurantes do mineiro que era fã do Rio. Acho inclusive que ele faleceu lá.
Mas eu achava tb que os bares do Jorge Ferreira ocupavam um lugar exagerado no mercado brasiliense, na medida em que eles se repetem muito (ambiente/comes/bebes). Hj, com o relativo encolhimento do Grupo Jorge Ferreira e com a abertura de casas com propostas diversas a coisa ficou bem mais interessante! Podemos numa mesma semana ir ao BAR BRASÍLIA, ao PUBLICAN e ao IVV SWINE BAR. Estaremos em ambientes diversos, comeremos e beberemos coisas diversas, veremos 'galeras' diversas, e isso é muito bom;)


IVV SWINE BAR

Dentre os bares/restôs populares, um dos meus preferidos é o CHICO MINEIRO. Embora a cozinha não seja tão virtuosa quanto à do CHICO, um lugar que me cativou mais recentemente foi o bar/restô TIBORNA, fiquei fã!

Tiborna

Fundado por uma turma que trabalhou no BAR BRASÍLIA e no extinto BAR DO MERCADO, o TIBORNA - que lembra muito o BAR BRASÍLIA - é um mergulho na cozinha brasileira boêmia! É ótimo saber que temos bem no centro da cidade um lugar para comer filé à Osvaldo Aranha, à milanesa, à parmigiana, picadinho, rabada, dobradinha, fígado, feijoada, cozido, e por aí vai. Tem até um joelhão de porco, que estou louco para experimentar.




Cardápio fixo e pratos do dia. Os petiscos tb não decepcionam: Tiborna (um tipo de brusqueta portuguesa, com coberturas diversas), língua, moelas, linguiças, pastéis, espetinhos, caldos. Destaque para os embutidos de Leo Hamu. Tem tb uns 'sandubas' e até massas. O TIBORNA é aquele tipo de lugar em que é difícil se exaurir o cardápio, por mais que se vá! O serviço pode tornar-se meio lento nos dias de maior movimento, mas dá conta do recado. Preços razoáveis e um ambiente que me agrada muito, numa esquina de bloco (como o CHICO MINEIRO tb fica) com lampiões dando para a quadra.





Cerveja gelada, variedade de cachaças e chopes (2 estilos) da cervejaria brasiliense HOP CAPITAL. TIBORNA é pra se frequentar, ir explorando o cardápio, eleger os favoritos, enfim, pra fazer dele uma segunda casa como os boêmios costumam fazer com seus estabelecimentos prediletos. Saúdo o TIBORNA como uma das melhores novidades da cidade. 
Não me agradam os bares populares feios e toscos tipo FAISÃO DOURADO, PIAUÍ, KI-FILÉ & Cia. Bar popular não tem que ser feio, tosco nem muito menos sujo. Bares como o BAR BRASÍLIA e o TIBORNA engrandecem o conceito do bar popular e mostram que se pode muito bem comer/beber bem num ambiente simples mas agradável, limpo e com algum conforto (banheiros decentes incluídos).
Quem quiser dividir um joelhão comigo qq. dia desses lá no TIBORNA manda uma mensagem pelo blog, é só marcar!;)

TIBORNA
403 norte

Cozinha - **+ 
Serviço - **+
Preços - **1/2
Ambiente - **1/2
Acolhida - não se aplica

*** - Excelente
** - Bom/Regular
* - Sofrível










THE BRIAN BORU (Pirenópolis-GO)

ERA SÓ O QUE FALTAVA... Eu sempre achei, mas nada impede que um dia ainda mude de opinião, que Piri é o lugar mais bacana para se passar...