quarta-feira, 4 de novembro de 2020

ROTT BAR (Brasília-DF)

CARNE, BRASA, CERVEJA...

(Leia ouvindo Jimi Hendrix se possível)

Não sei direito se estamos no meio de uma pandemia ou já depois dela. O fato é que eu nunca dei muita bola pra ela, seja por estar fora dos tais grupos de risco, seja talvez por um excesso de otimismo. Sempre achei que não ia ter a doença, e que se tivesse ia escapar. Até agora deu certo!

É claro que vai haver uma reconfiguração - dramática até em razão da quebradeira provocada pela pandemia - do setor de restaurantes e bares. E é animador, emocionante até, ver a abertura de novas casas na cidade! \o/

Há outras novidades, mas o TERRUÁ sem dúvida já desponta como uma das melhores. É gente da terra, caso da jovem Chef Gabriela Jabour, mostrando que nascer num berço privilegiado não impede ninguém de ter... o próprio talento! 

Chef Gabriela Jabour

Por outro lado, gente de fora mostra valor e ambição ao se lançar em novos empreendimentos. É o caso da turma que saiu do extinto GERO brasiliense para montar o A'MANO e já partiu pra outra, com o AROMA e o mais recente PAPÀ CUCINA. Desejo sucesso ao Carlão e ao Chef  Ronny Peterson!

PAPÀ CUCINA

Com o fechamento de vários bares e restaurantes dos quais eu gostava, tenho ido mais do que o habitual aos bares e restaurantes do sudoeste, onde moro. Nunca gostei muito dos bares e sempre achei o bairro rico pobre em restaurantes, apesar de rico em cafés e fast-food.

O tradicional MACHADO'S serve se vc estiver por ali, tem uns pratos baratos e fartos (caso do espaguete à parisiense), ambiente com algum conforto e é tb bar. Tem variedade de pratos, petiscos, pizzas, cerveja e vinho. Mas é totalmente insignificante gastronomicamente. Ponto final. 

espaguete à parisiense


BUTEKO 101

Já o BUTEKO 101 é um simpático bar de bairro, dos mesmos donos da ótima GALETERIA TREVISO na asa norte. Vale visitar! Tome uma cerveja da COLORADO e prove os ótimos pastéis de camarão ou as iscas de tilápia. Pratos executivos no almoço e, aos sábados, feijoada, pois ninguém é de ferro...

E eu aproveitei pra (finalmente) conhecer tb o tal do ROTT BAR, taí um lugar importante gastronomicamente, putz! \o/ É ele o assunto principal de hj.

Todo estabelecimento é criticável. É fácil p.e. falar quer o TERRUÁ é 'longe'. Ou que o PAPÀ CUCINA  tb é, além de 'difícil de achar dentro do Gilberto Salomão'. Ou que o BUTEKO 101 'podia ter mais opções de cervejas artesanais/importadas'. É tb fácil falar que é barulhento e falta conforto ao ROTT BAR. Ocorre que os estabelecimentos são do jeito que eles são, embora às vezes possam mudar de 'cara', de ponto, de dono, de Chef, de cidade, etc. e tal. Sempre digo que os estabelecimentos têm direito à sua fórmula. E a do ROTT BAR é: Hamburgueria e bar despojado, música alta e comida excelente. Pronto. Vai quem quer...




Com cardápio enxuto e execução primorosa dos lanches, tudo que eu comi no ROTT até agora marcou: Cheeseburguer, choripán, cachorro-quente. O pão de alho é o melhor que eu já comi. Sensacional a comida. \o/ Serviço de bar simples e ótimos preços completam a experiência. Vc pode, ao invés de lanchar, pedir uns cortes de carne pra petiscar e tomar umas cervejas pra acompanhar, o ROTT é um Burger Bar!


Eu não gosto muito dessa coisa de 'o melhor isso', 'o melhor aquilo', mas vá lá... o ROTT é top 3 da cidade, não é pouco! E talvez seja a hamburgueria com mais personalidade dentre todas.


Como bar, ou o ROTT é a sua cara ou não é. Alguém pode não simpatizar com aquele tipo de lugar e vai a outro. O ROTT é do tipo "dá ou desce" 😅 Como hamburgueria, entretanto, o ROTT não pode ser ignorado, ele é importante no cenário. Despojado, underground e com uma comida deliciosa. Vida longa ao ROTT BAR brothers! ;)


ROTT BAR

CLSW 103, subsolo, Sudoeste


Cozinha - ***

Serviço - **+

Preços - **1/2

Ambiente - **-

Acolhida - não se aplica


*** - Excelente

** - Bom/Regular

* - Sofrível










Nenhum comentário:

Postar um comentário

ROTT BAR (Brasília-DF)

CARNE, BRASA, CERVEJA... (Leia ouvindo Jimi Hendrix se possível) Não sei direito se estamos no meio de uma pandemia ou já depois dela. O fat...